Namu é

Conheça mais sobre o NAMU

Saiba mais sobre

Pitaia: delícia que elimina as más gorduras

Além de linda, a fruta do dragão acelera o metabolismo, ajuda a emagrecer e auxilia na prevenção de doenças cardiovasculares

Mor Shvartzberg / Flickr / CC BY ND 2.0

Fruta bastante consumida na região do Caribe, a pitaia caiu de vez no gosto dos brasileiros

O continente americano possui inúmeras espécies de frutas. Há décadas, seus povos utilizam esses alimentos para consumo e fins medicinais. Os taínos, civilização pré-colombiana das Antilhas, possuíam numerosa população e tinham grande conhecimento em agricultura. Mesmo após o idioma desse povo ter desaparecido rapidamente com a colonização, algumas heranças permanecem até hoje. A pitaia (Cereus undatus), palavra originada de pitahayaque no idioma taíno significa fruta escamosa, foi uma delas.

Fruto do cacto, de tamanho médio e coloração que varia entre vermelho e amarelo, a pitaia, ou pitaya, é pouco conhecida no Brasil. A Região Sudeste é maior produtora da fruta. As principais variedades comercializadas são: Selenicereus megalanthus (branca por dentro e com casca amarela), Hylocereus undatus (branca por dentro e casca rosa) e Hylocereus polyrhizus (vermelha por dentro e com casca rosa).

“Por sua produção ser pequena, o custo dela é muito alto, varia de R$ 15 a R$ 90 dependendo da época. Uma boa opção para que o preço diminua é aumentar a plantação da fruta. Na Nicarágua, por exemplo, isso já aconteceu”, comenta o estudioso e produtor de pitaia, Edimilson Tavares. Apesar de não ser tão conhecida, a pitaia ganha adeptos a cada ano. Na Europa e na Ásia, a fruta já é comercializada e está entre as mais benéficas. “É importante que os brasileiros tenham mais conhecimento sobre a pitaia. Em Taubaté, SP, por exemplo, tenho uma grande plantação e pretendo aumentar o cultivo, pois o objetivo é fazer com que todos tenham acesso a essa deliciosa fruta”, acrescenta Tavares.

Pitaia (Cereus undatus)

Fruta para emagrecer?

A fruta do dragão, como é conhecida por conta das suas escamas, não difere de outras frutas tropicais quando o assunto é benefício à saúde. Fonte de energia, por conta da tiramina, a fruta é rica em vitaminas A, B, C, E, fibras, cálcio e fósforo.

“A pitaia tem o poder de neutralizar as toxinas de metais pesados do nosso organismo, o que ajuda no bom funcionamento do fígado. Para quem quer perder peso, a fruta é indicada, pois dá sensação de saciedade e contém efeito termogênico, que acelera o metabolismo e queima as más gorduras presentes em nosso corpo”, relata a pesquisadora de pitaia, Sandra Rosa.

A fruta regula o açúcar no sangue, inclusive, é ótima para diabetes tipo 2. Quem tem prisão de ventre deve colocar a pitaia na sua lista de compras, pois, como o mamão, serve como laxante natural e auxilia na regulação do intestino. Por ser uma fruta neutra, é boa para gastrite, além de previnir câncer de colón, uma vez que seu consumo regula o trânsito intestinal e auxilia na limpeza do organismo. Já a presença de licopenos na fruta, importante antioxidante, evita o envelhecimento precoce das células e doenças degenerativas. A grande quantidade de água torna presente na pitaia a torna diurética e ótima para quem sofre de insuficiência renal.

Ômega 3 e 6

“A pitaia tem uma quantidade considerável de ômega 3 e 6, que são gorduras essenciais para nosso organismo. Elas têm capacidade de diminuir a pressão sanguínea, o colesterol, melhorar o sistema imunológico, combater inflamações, prevenir doenças cardiovasculares e arritmia cardíaca. Eu mesma já fiz o teste em casa, tomei suco com meia pitaia todos os dias, durante uma semana, e por incrível que pareça meu batimento cardíaco diminuiu de 110 para 62 batimentos cardíacos”, declara a pesquisadora.

Com sabor doce, a pitaia pode ser consumida in natura, como sorvete, suco, geleia, mousse, salada de frutas e salada agridoce com verduras. Se você procura uma fruta deliciosa e muito leve, a pitaia é ideal, pois contém poucas calorias. Porém, fique atento, ao ingerir a fruta e sentir um gosto parecido com o da beterraba é sinal que ela foi colhida há algum tempo e já não está tão boa para o consumo. Para manter os nutrientes, é aconselhável consumir a fruta em até uma semana. “Ingerir mais de 100 g por dia, muitas vezes, pode provocar um leve desarranjo, o ideal é comer meia pitaia ao dia”, finaliza Rosa.

Ornamental

Além de ser super saudável, a pitaia é linda e chama a atenção de qualquer pessoa que passa ao seu lado. A planta possui grande potencial ornamental. O cacto pode ser plantado em vasos, solos com pedras ou ficar suspenso, com suas raízes aéreas. Uma curiosidade é que, diferente de outras plantas, a flor da pitaia desabrocha a noite, por volta da meia noite. Ela fica aberta praticamente a noite inteira, só se fecha às seis da manhã. Um espetáculo para quem é apaixonado pela natureza e quem embelezar a sala com uma planta diferente. É importante ressaltar que as flores brancas, conhecidas como flores da noite ou damas da lua, só florescem se cultivadas adequadamente. A pitaia pode ser encontrada em mercados, feiras e pela internet no site Pitaya Brasil.


Quer ter um cardápio saudável e delicioso? Conheça as aulas online do Namu Cursos e aprenda receitas saborosas, práticas e super nutritivas. Saiba mais aqui.