Namu é

Conheça mais sobre o NAMU

Saiba mais sobre

Boca: janela para equilibrar o corpo

Manter uma higiene bucal adequada evita infecções e previne contra problemas como anemia e osteoporose

Pixel Addict / Flickr: strawberry with cream / CC BY 2.0

Escovar os dentes após as refeições e usar fio dental são hábitos que previnem infecções

A boca é uma área que possui muitas bactérias, sendo a maioria delas inofensivas para nosso organismo. Uma boa higiene bucal - escovar os dentes sempre após as refeições e passar fio dental diariamente - pode ajudar no controle dessas bactérias e evitar infecções orais que tendem a causar a degradação dos dentes e a inflamação da gengiva.

Olhar para a boca pode significar olhar para todo o corpo. Além de prevenir doenças, o cuidado bucal ainda pode apontar sintomas de que seu organismo não está equilibrado. Muitas pesquisas têm associado problemas de gengivas ou o enfraquecimento dos dentes a doenças como anemia, endocardite, diabetes e osteoporose.

Anemia

Uma gengiva esbranquiçada pode ser sinal de anemia. Estar anêmico significa não ter o número suficiente de glóbulos vermelhos no sangue ou não ter os níveis adequados de hemoglobina nos glóbulos vermelhos. Como essas células são responsáveis pelo transporte de oxigênio, a falta delas faz com que as células do corpo não recebam taxas adequadas de oxigênio, prejudicando o funcionamento de todo o organismo. Portanto, é aconselhável ficar atento à cor da gengiva.

Endocardite

Endocardite é uma inflamação dos músculos e das válvulas do coração causada por infecções bacterianas. Bactérias que causam a gengivite podem aumentar os riscos de desenvolver a doença. A gengivite é a inflamação da gengiva que pode ser notada quando ela está bem vermelha e sangra durante as escovações.

Quando há um sangramento desse tipo, as bactérias até então presentes na boca podem entrar na corrente sanguínea e chegar ao coração. Ao se multiplicarem ali, elas impedem o coração de funcionar adequadamente, deixando-o menos eficiente.

Diabetes

Uma pessoa com diabetes tem maiores chances de ter problemas bucais pelo baixo controle das taxas de açúcar no sangue. Isso porque esse descontrole pode influenciar na quantidade de glóbulos brancos, nossa principal defesa contra infecções bacterianas.

Além da maior incidência de contágios infecciosos, diabéticos ainda podem sofrer com boca seca e com sensibilidade e inflamação da gengiva. Problemas de gengiva já costumam ser mais comuns em pessoas com diabetes e pessoas que sofrem com doenças na gengiva tendem a ter mais dificuldade de controlar as taxas de açúcar no sangue, segundo informações divulgadas pela Mayo Clinic, clínica norte-americana especializada em informações médicas. Isso pode levar a um ciclo de problemas, caso a higiene bucal não seja efetuada de maneira adequada.

A boca seca também pode facilitar a ação bacteriana. A saliva ajuda a tirar os restos de comida que ficam nos dentes e neutraliza ácidos produzidos pelas bactérias da boca. Com a diminuição do líquido, os dentes ficam menos protegidos de invasões e as bactérias se multiplicam mais rápido.

Osteoporose

O enfraquecimento ou a queda de dentes podem estar associados à osteoporose, é o que sugere o Instituto Nacional de Osteoporose a Doenças Relacionadas aos Ossos dos Estados Unidos. A osteoporose é uma doença responsável por tornar os ossos menos densos e, portanto, mais sujeitos a fraturas. O artigo publicado pela instituição revela que uma baixa densidade óssea do maxilar pode ser um sintoma da doença.

Para uma boca equilibrada

Veja algumas dicas sobre higiene e cuidados com os dentes:

  • Escove os dentes pelo menos duas vezes ao dia.
  • Passe fio dental entre os dentes diariamente.
  • Substitua sua escova de dente a cada três meses.
  • Agende consultas com seu dentista regularmente.
  • Informe seu dentista sobre a ingestão de remédios ou sobre qualquer alteração que você perceber em sua boca, mesmo que você a considere irrelevante.

Foto: Jasmin Baltres / Flickr / CC BY 2.0