Namu é

Conheça mais sobre o NAMU

Saiba mais sobre

Assoalho pélvico e a saúde da mulher

Ativação da musculatura é importante para prevenir incontinência urinária e proteger os órgãos internos

Mateus Lunardi Dutra/ Flickr / CC BY 2.0

Quando a musculatura do assoalho pélvico está enfraquecida, pode ocorrer incontinência urinaria e fecal

O assoalho pélvico é um conjunto de músculos de proteção para que os órgãos internos permaneçam saudáveis.

Para entender onde está localizado, a instrutora de Pilates Viviane Vales aponta que essa é a musculatura que se encontra próxima ao solo quando estamos sentados sobre os dois ossos que estão localizados bem abaixo dos glúteos, os ísquios.

Por que devemos exercitá-lo?

Todos os músculos dessa região formam uma grande "rede de sustentação" ou "cama elástica", que dão apoio para os órgãos tanto na anatomia feminina, quanto na masculina.

Além do suporte dos órgãos de ambos os sexos, o fortalecimento do assoalho pélvico é especialmente importante para prevenir incontinência urinária nas mulheres, pois preserva os órgãos pélvicos (como útero, ovários e bexiga) suspensos e evita que seus ligamentos sejam sobrecarregados.

O fortalecimento dessa musculatura também é primordial para responder adequadamente aos estímulos de pressão que recebemos todo o tempo, como tossir, espirrar, rir, levantar peso etc.

Isso acontece porque através do assoalho pélvico passam os canais da uretra, vagina e reto. Quando contraímos a musculatura, esses canais são estreitados, o que auxilia na continência urinária e fecal.

No quesito sexual, o exercício de contração do assoalho pélvico contribui para a constrição do clitóris e glândulas lubrificantes nas mulheres e, nos homens, é fundamental para o aumento da pressão sanguínea dentro do pênis.


Exercícios de pilates direcionados são favoráveis para fortalecer a musculatura do assoalho pélvico

Como exercitá-lo?

“Imagina o seu assoalho pélvico como um guarda chuva aberto virado de ponta cabeça no chão. Quando eu pedir para você soltar o ar, você vai sugar essa musculatura para dentro como se fosse a imagem do guarda chuva se fechando e subindo”, explica Vales no curso Pilates tradicional: do básico ao intermediário da plataforma NAMU Cursos.

Para contrai-lo e exercitá-lo dessa maneira é preciso sugar as musculaturas pélvica e abdominal, principalmente do períneo, para dentro na expiração e, ao relaxar, fica perceptível que a assoalho se apoia melhor no solo.

“É uma ativação que se assemelha um pouco com a vontade de ir ao banheiro. Imagine que você está apertado, então, você segura essa vontade e depois relaxa.", acrescenta a instrutora.

A ativação da musculatura do assoalho pélvico pode ser feita em diversos momentos. Por exemplo, esperando o farol abrir no trânsito, fazendo força como se quisesse elevar o órgão genital do acento. Ou, ao urinar, cortando o jato da urina antes de finalizado. São alguns desses momentos corriqueiros em que a contração pode ser feita.

Conectando os músculos internos das pernas, é possível ter uma melhor consciência da musculatura do assoalho pélvico. Vales explica que isso não é uma regra, mas auxilia na percepção. Ao pisar corretamente com as bolas das solas dos pés apoiadas no chão, se aciona a musculatura interna da coxa, o que estimula essa assimilação do assoalho. 

O enfraquecimento dessa região, por sua vez, pode ocorrer, basicamente, por três razões: excesso de carga e falta de fortalecimento, envelhecimento natural e alterações hormonais (menopausa e andropausa).

Curso pilates tradicional: do básico ao intermediário 

Uma das formas mais eficientes de exercitar os músculos do assoalho pélvico é fazendo práticas direcionadas. As aulas do curso Pilates tradicional: do básico ao intermediário da plataforma NAMU Cursos com a instrutora Viviane Vales podem colaborar para esse treinamento.

Esse é o segundo curso de pilates da plataforma e apresenta técnicas aplicadas no solo, com ou sem uso de equipamentos auxiliares, para o aluno desenvolver todo seu potencial, melhorar o equilíbrio corporal e mental, além de aprimorar a percepção da postura para resultados estéticos e terapêuticos.

O método pilates compreende exercícios para educar o corpo e a mente em um trabalho conjunto. Desenvolvido pelo alemão Joseph Pilates na década de 1920, a técnica tem ganhando cada vez mais espaço no Brasil e no mundo.

Foto: Mateus Lunardi Dutra/ Flickr / CC BY 2.0


Veja também: 
Curso de pilates em casa: do básico ao intermediário
Aula de pilates tradicional: do básico ao intermediário 
Pilates: músculos mais fortalecidos