Principais nomes

Immanuel Kant (1724-1804): Filósofo alemão, nascido em Konigsberg, na Prússia Oriental. Seu pai era seleiro e sua mãe luterana pietista. Teve uma educação rigorosa, que se mostrou presente desde o início de seus estudos da filosofia, quando aliou o pietismo religioso ao pensamento de Leibniz (1646-1716). A partir de 1746, com a morte do pai, começa a trabalhar como preceptor nas casas de famílias nobres da Prússia Oriental. É entre 1740 e 1780 que podemos chamar de um período pré-crítico, em que Kant leciona diversas disciplinas – matemática, física, geografia, antropologia, pedagogia — e chega a publicar uma série de pequenas obras. Nesse estágio, até 1760, Kant segue os passos do racionalismo dogmático. É influenciado pela física newtoniana e as metafísicas de Leibniz e Wolff. No período de 1760-1769, o chamado “empirismo” das filosofias de John Locke (1632-1704) e David Hume (1711-1776), as leituras sobre a questão do sentimento em Shafstbury (1671-1713) e a problemática do direito do Contrato Social de Rousseau (1712-1778) o levaram à sua célebre Dissertação de 1770, que trata sobre a forma e os princípios do mundo sensível e do mundo inteligível. É nela que Kant esboça pela primeira vez as formas a priori da sensibilidade, o espaço e o tempo, demarcando o ponto de partida do idealismo na história da filosofia. Todas essas atividades e escritos serviram como grande suporte e preparação para a publicação das três críticas kantianas, antecedendo o período final do projeto crítico e da filosofia de Kant, entre 1780 e 1800. O criticismo kantiano é um marco de viragem não só de sua filosofia, mas da própria história do pensamento ocidental. A fundamentação sistemática de sua filosofia está presente nas suas três críticas da razão: a Crítica da Razão Pura (1781), a Crítica da Razão Prática (1788) e a Crítica do Juízo (1790). É nelas que encontramos as noções que edificam o seu idealismo transcendental. Na Estética Transcendental da Crítica da Razão Pura (1781), Kant distingue a noção de fenômeno da noção de coisa em si (o númeno), delimitando dois grandes domínios sobre o alcance do conhecimento

Para pensar

A distinção precisa entre filosofia e teologia é um conceito chave no pensamento kantiano. É possível encontrar elementos supostamente teológicos que atuariam como fundamento de seu criticismo?

Um problema apontado na filosofia kantiana é o fundamento da reflexão humana. Uma ressalva importante que se faz é a de que Kant não teria se esquivado totalmente da crítica humana, como pretendera....

VEJA MAIS

Possibilidades

veja mais sobre o tema