Histórico

O contexto intelectual do século 18: a filosofia kantiana surge no contexto europeu, dividida entre a forte influência do racionalismo e do empirismo. É também o fim do ciclo do classicismo nas artes. Nesse contexto, emergem pensadores de diversas disciplinas na tentativa de elaborar uma sistemática sobre estética, ética, governo e lógica, permitindo obter conhecimentos objetivos sobre o universo.

Contexto da Revolução Francesa: Na fase final da produção de Kant, já colocado em marca o projeto crítico (entre 1780 e 1800), eclode a revolução francesa em 1789. Kant e outros iluministas a veem com bons olhos, em seu entusiasmo pelo liberalismo.

O idealismo alemão ou pós-kantismo: Kant demarcou uma inflexão na história da filosofia, que redefiniu o debate na área. Sua crítica culmina no chamado “idealismo alemão”, que vai desde a segunda metade do século 18 até a primeira metade do século 19.

O neokantianismo: movimento alemão que dominou o pensamento do país por meio século, por volta dos anos 1875 a 1925. Trata-se de uma nova geração de pensadores que retomam temas da crítica kantiana, da fenomenologia do idealismo alemão, e pelas inovações da hermenêutica filosófica.

Para pensar

A distinção precisa entre filosofia e teologia é um conceito chave no pensamento kantiano. É possível encontrar elementos supostamente teológicos que atuariam como fundamento de seu criticismo?

Um problema apontado na filosofia kantiana é o fundamento da reflexão humana. Uma ressalva importante que se faz é a de que Kant não teria se esquivado totalmente da crítica humeana, como pretendera...

VEJA MAIS

Possibilidades

Filosofia da Educação

veja mais sobre o tema