Fundamentos

Iluminismo: as noções iluministas fizeram parte de um movimento filosófico, político e social que surgiu na Europa do século 18. Muitas ideias novas aparecem, nesse momento, nas ciências da natureza, sobretudo no uso adequado e crítico da razão. A noção de luz faz parte do diagnóstico dos iluministas de que a sociedade vivia então em uma época de trevas, sombria e pouco esclarecida. Para melhorar esse quadro eles acreditavam que era necessária a presença da luz da razão.

Implicações radicais: Encontramos muitas implicações nos campos da moral, do conhecimento e da vida prática. A crítica e a técnica tornaram-se a principal aposta para o convívio social, assim como a liberdade significou um fluxo maior de bens e mercadorias. O debate entre as ideias foi estimulado pelo questionamento, a investigação e a experiência. Assim, a filosofia, as artes e as ciências se voltaram contra as imposições dogmáticas da religião e da política, até então teocêntricas e feudais.

A força do Estado e da razão: A organização da vida social passou a ser cada vez mais orientada pelo Estado. Ganhou poder a ideia de que mundo humano do conhecimento é diferente do universo religioso. A razão do indivíduo é tida como algo a ser desenvolvido, mas que deve obedecer a uma vontade maior e pública. A influência religiosa sofreu um abalo, e o Estado assumiu as tarefas de promulgar as leis, os códigos de conduta, a arrecadação de impostos e o incentivo à educação popular.

Para pensar

O iluminismo é um movimento puramente científico?

Muitas vezes se confunde ciência com iluminismo. Para compreendermos o sentido das luzes é preciso levar em conta a seguinte pergunta: “por que o homem quer conhecer?”. A ideia de que o homem d...

VEJA MAIS

Possibilidades

veja mais sobre o tema