Ramificações

Vale ressaltar que as filosofias existenciais, justamente por não terem afinidade com a sistematização racional do pensamento, pode ser encontrada em diversos vínculos: do niilismo ao marxismo, das correntes liberais até o conservadorismo político e social. Portanto, não parece adequado falar em uma escola existencialista propriamente dita. No entanto, a tradição filosófica costuma dividi-la em dois marcos:

1) O existencialismo cristão: iniciado por Kierkegaard: aqui o pensamento sobre o ser e o nada está imbricado ao teísmo.

2) O existencialismo ateu: a partir de Sartre: é considerada a perspectiva mais radical, como a que encontramos a partir de Sartre.

Escolas Posteriores:

Contracultura e engajamento político: A partis dos anos 1940, o debate francês pós-guerra mundial contava com grande presença de filósofos existencialistas ou afins. Por ser um discurso capaz de articular engajamento político e social com a crise do indivíduo, parte do movimento da juventude de 1960 se espelhou em filósofos como Sartre e Simone de Bouvoir, Camus, Nietzsche e mesmo Kierkegaard.

Para pensar

No atual contexto da massificação cultural, o que seria o autêntico exercício de liberdade?

O indivíduo focado em si é aparentemente mais livre porque escolheu como valor principal de sua conduta o interesse próprio. Isso também faz com que suas ações sejam sempre motivadas por esse int...

VEJA MAIS

Possibilidades

veja mais sobre o tema