Fundamentos

Estilo de vida: Jacques Colette (1929), estudioso francês, compreende o existencialismo muito mais como um modo de vida do que como um estilo literário somente.

Vários olhares: A problemática da existência não pode ser considerada uma problemática encerrada e sistematizada. Os autores são variados. Cada um opera em um registro diferente. Na esteira dos chamados autores existencialistas, há idealistas e realistas, racionalistas e irracionalistas, ateus e religiosos.

Não é possível falar de uma filosofia existencialista enquanto tal, mas de autores existencialistas marcados em sua singularidade.

Época de mudanças: A segunda metade do século 19 e a primeira metade do Século 20 foram marcadas por um momento de liberação política, filosófica e literária.

A Escolha e a Liberdade: O tema da decisão e da escolha é sem dúvida o mais marcante do existencialismo. O ser humano é livre para escolher. Só o que é livre pode se tornar responsável. Alguém só pode ser totalmente responsável se for totalmente livre. Por isso, opõe-se à forma clássica e tradicional das metafísicas anteriores, em que as teorias costumavam dividir a responsabilidade da liberdade, em que o indivíduo estava submetido a uma inteligência superior ou a um demiurgo.

Para pensar

No atual contexto da massificação cultural, o que seria o autêntico exercício de liberdade?

O indivíduo focado em si é aparentemente mais livre porque escolheu como valor principal de sua conduta o interesse próprio. Isso também faz com que suas ações sejam sempre motivadas por esse int...

VEJA MAIS

Possibilidades

veja mais sobre o tema