O que é

Matriz energética mais utilizada no mundo atualmente, os combustíveis fósseis são originados da decomposição de matérias orgânicas por milhões de anos dispostas em camadas profundas no subsolo. Dela fazem parte o petróleo, o carvão mineral, o gás natural e o xisto.

Alguns desses elementos já eram conhecidos por alguns povos da antiguidade. Os sumérios, assírios e babilônios empregavam óleos crus para revestimento de vias públicas, impermeabilização de barcos e até em finalidades medicinais. Na Revolução Industrial, o aumento da capacidade produtiva gerou maior necessidade de energia e, no século 19, o aprimoramento das técnicas de detecção de jazidas e perfuração para extração do petróleo e gás permitiu acesso a uma quantidade jamais vista.

O carvão é um dos combustíveis fósseis mais conhecidos. Desde 1.000 a.C os chineses já o utilizavam para derreter cobre e, na Europa, esse material foi fundamental para geração de vapor na Primeira Revolução Industrial. Atualmente, o carvão é de extrema importância para países como China e EUA. Apesar de ser extremamente poluidor, ele é a segunda fonte de geração de energia do planeta. Só perde para o petróleo.

Combustível fóssil mais utilizado no mundo, o petróleo, por sua vez, possui importância que vai além da geração de energia. Seus derivados são utilizados para a produção de fertilizantes, borrachas, plásticos e produtos químicos variados. O modo de vida atual da humanidade não seria possível sem ele. Apesar de conhecido desde a antiguidade, sua aplicação prática só ganhou força em razão do aprimoramento das técnicas de extração na transição do século 19. O avanço da indústria química ajudou a entender as potencialidades de aplicação de seus derivados. São eles a gasolina, o diesel, a parafina e outros. Curiosamente, no processo de refino, a gasolina era um subproduto indesejado que só ganhou aplicação com o rápido crescimento da indústria automotiva. Como meio energético, é hoje fundamental para suprir as demandas de países com poucos recursos hídricos ou jazidas próprias para extração de carvão ou gás.

O gás natural é outro combustível bastante utilizado. Existem registros de seu conhecimento na região onde hoje é a Península Arábica desde 6.000 a.C. Sua utilização sempre foi limitada às áreas de extração em razão da dificuldade de transporte. Apesar de ser considerado um problema quando encontrado nas jazidas petrolíferas, a evolução dos sistemas de gasodutos no século 19 permitiu levar o gás para regiões mais remotas e reduziu as grandes perdas com vazamentos. Atualmente, é uma fonte bastante utilizada em razão de ser menos poluente que as outras matrizes fósseis. O nível de emissão de dióxido de carbono (CO2) do gás natural é até 25% menor que o petróleo e 40% menor que o carvão.

Apesar de sua utilidade, os combustíveis fósseis são poluentes em toda cadeia produtiva. Desde a extração até o usuário final, o meio ambiente sofre grandes impactos. A quantidade de energia necessária para acionar máquinas e equipamentos para extraí-los e transportá-los é enorme e o processo pode contaminar o solo e a água em decorrência de vazamentos. Os maiores problemas ocorrem no transporte marítimo, pois a transferência do óleo da plataforma de extração para navios-tanque é uma operação muito perigosa e sujeita a influências climáticas e problemas técnicos. Não são incomuns os casos de derramamentos e comprometimento de ecossistemas costeiros em razão desses acidentes.

A queima dos combustíveis fósseis contribui para os elevados níveis de poluição atmosférica em todo planeta. O aumento da quantidade de materiais particulados já existentes, como dióxido de carbono, metano, vapor de água e óxido nítrico, ou seja, os gases de efeito estufa, são os responsáveis pelo aquecimento global. A radiação solar refletida pela Terra é absorvida por esses gases e volta para a superfície, aumentando a temperatura da camada mais baixa da atmosfera.

Existem alguns estudos sobre o prazo de esgotamento das jazidas de combustíveis fósseis, mais notadamente de petróleo. A extração tem se tornado cada vez mais cara e difícil. O preço do barril atingiu valores acima de 100 dólares em 2008 em razão do crescimento e da participação da China e da Rússia além da pressão de países produtores, influenciando a economia mundial.

Possibilidades

veja mais sobre o tema