Namu é

Conheça mais sobre o NAMU

Saiba mais sobre

Substâncias tóxicas utilizadas pela indústria de cosméticos

Falta de regulamentação permite que empresas comercializem produtos químicos que ainda não foram estudados e testados suficientemente

Paulisson Miura / Flickr: Aline (Black light neon makeup) / CC BY 2.0

Recomendação dos especialistas é ler a lista de ingredientes para evitar químicos que são perigosos

É bem comum que as pessoas simplesmente não desconfiem dos produtos industrializados que utilizam no dia a dia. “Se está à venda na gôndola, não deve ter problema”, pensam alguns. Porém, um olhar mais cuidadoso pode apontar o quanto as prateleiras são, em alguns casos, verdadeiras arapucas. Nesse sentido, o grupo dos cosméticos está entre aqueles com grande potencial de intoxicação, por conta da quantidade de substâncias químicas utilizadas na fabricação desses produtos.

A regulamentação deficiente do setor ainda ajuda a fomentar a pouca transparência nos rótulos praticada pelas empresas. No Brasil, não se sabe ao certo quais são os critérios que determinam o que é natural e o que é orgânico, quais ingredientes os produtos podem ou não conter e como deve ser a rotulagem nos frascos. Por enquanto, o que há é a certificação, com os selos do Instituto Biodinâmico (IBD) e da francesa Ecocert, mas as duas instituições divergem sobre os critérios de classificação dos produtos.

“A gente pode citar alguns produtos hidratantes que eram utilizados na França contendo o composto radioativo rádio”, afirma o engenheiro químico Décio Livrari. Entre as décadas de 1920 e 1950, a radioatividade estava na moda e isso trazia uma publicidade positiva para os produtos com esse tipo de material. “Alguns anos depois, o processo de decaimento radioativo demonstrou que o rádio era um elemento capaz de provocar alterações mutagênicas no ser humano, capaz de ocasionar câncer”, completa.

Alguns dos elementos ainda encontrados em cosméticos são os metais pesados. O chumbo, por exemplo, é um conhecido carcinógeno encontrado em batons e tinturas de cabelo, mas que raramente é listado na lista de ingredientes. O mercúrio, que está presente em máscaras e alguns colírios, é um alérgeno que pode prejudicar o desenvolvimento do cérebro.

Outro perigo são os parabenos, substâncias utilizadas como conservantes que estão presentes em uma infinidade de itens que usamos no dia a dia, como shampoos, lenços umedecidos, cremes, maquiagens, hidratantes, desodorantes, entre muitos outros. “Essa substância altera o metabolismo de glândulas e hormônios”, explica Ana Paula Takeuchi, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). Estão associados a uma maior incidência de câncer, desregulação endócrina e toxicidade reprodutiva.

A recomendação dos especialistas é ler atentamente à lista de ingredientes para evitar químicos que são notadamente perigosos, mesmo que continuem sendo amplamente utilizados.