Namu é

Conheça mais sobre o NAMU

Saiba mais sobre

Sabonete de glicerina serve para que?

Hidratante e emoliente, esse produto mantém a umidade natural da pele e é uma ótima indicação para crianças

Gomji Brown / Flickr: IMG_0879_ / CC BY-ND 2.0

O sabonete de glicerina é hidratante, emoliente e mantêm a umidade natural da pele

Em qualquer supermercado é possível achar diversas opções de sabonete. Além da variação entre líquido e em barra, o setor é cheio de marcas que prometem vários benefícios para a pele.

Entre elas, estão os sabonetes a base de glicerina, presentes em quase todas as prateleiras de cosméticos artesanais. Esses produtos se caracterizam pelos aromas botânicos e, em grande parte, pela transparência.

A glicerina presente nesse tipo de sabonete é formada através da reação de gorduras com soda caústica, num processo chamado de saponificação.

Como o principal uso do sabonete é na higiene pessoal, é necessário esclarecer que a glicerina não é um agente de limpeza. Esse ingrediente é, na verdade, umectante e espessante. Ou seja, ele ajuda a pele a manter a sua umidade natural e contribui na viscosidade de produtos como cremes e loções.

Porém, segundo Fernanda Mallmann, graduanda em farmácia, aromatóloga e artesã de cosméticos naturais, a glicerina também auxilia na penetrabilidade dos demais ativos e agentes de limpeza, isso, por sua vez, faz com que a higiene seja mais eficiente.

Sabonete artesanal x sabonete industrializado

“O sabonete artesanal pode ou não ter as mesmas características e propriedades do sabonete industrializado, depende de que o artesanal tenha um processo adequado e seja aprovado pelos órgãos reguladores. É necessário controlar o crescimento de microrganismos e também garantir a eficácia da limpeza. Em geral, os produtos industrializados têm mais condição de controle da qualidade”, alerta Denise Steiner, dermatologista e coordenadora científica da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Atualmente, a grande oferta de sabonetes de glicerina feitos artesanalmente e industrialmente produz questões relacionadasàs vantagens na escolha de cada tipo. É preciso estar atento na hora de escolher o produto. Em razão disso, é muito importante conferir o rótulo e ver quais são os componentes do sabonete.

"Existem muitas diferenças entre os sabonetes naturais artesanais e os sabonetes industrializados. Entre elas estão a matéria-prima, os ativos, a maneira como são produzidos e o resultado na pele. Os sabonetes naturais são formulados com óleos e manteigas vegetais minunciosamente selecionados e atuam em conjunto com óleos essenciais que além de perfumar, personalizam esse sabonete natural para determinado fim terapêutico”, contrapõe Mallmann.

Segundo Mona Soares, farmacêutica e artesã de cosméticos, “as bases glicerinadas vendidas para posterior derretimento e confecção do sabão são, em sua maioria, produzidas de maneira industrial e contêm pouca glicerina”. Portanto, as bases glicerinadas são as grandes vilãs. O ideal é utilizar um sabonete feito de glicerina pura.

“Essas bases glicerinadas podem conter surfactantes mais agressivos à pele e ao meio ambiente, fragrâncias artificiais, conservantes nocivos e gordura animal”, completa Malmann.

Funções do sabonete de glicerina

Em todo caso, quando produzido adequadamente, o sabonete de glicerina, seja industrializado ou artesanal, possui propriedades semelhantes.

Segundo Steiner, o sabonete de glicerina é hidratante, emoliente e mantém a umidade natural da pele. Por isso, ele é uma ótima indicação para crianças, que, em geral, têm a pele normal e não oleosa. O produto também é indicado para pessoas com a pele mais seca, sensível, com alergias e até mesmo nas áreas íntimas, pois é hidratante e tem a formulação neutra.

“Qualquer sabonete, em tese, pode retirar a maquiagem, pois são produtos de limpeza e retiram os resíduos e a gordura. O sabonete de glicerina também pode ser usado para este fim”, acrescenta Steiner sobre a capacidade demaquilante do sabonete de glicerina.

Para peles oleosas e acneicas, a dermatologista fez ressalvas sobre o uso do produto, principalmente pela característica hidratante. “Nesses casos, para retirar o excesso de óleo e combater as espinhas, há outros princípios ativos que podem ser adicionados, como ácido salicílico”, completa Steiner. 

A dermatologista Cristiana Moron acrescenta que mesmo sendo umectante, o uso do sabonete de glicerina não dispensa o uso de hidratante, especialmente no inverno. “Para peles ressecadas, sensíveis ou com lesões, como alergia e psoríase, existem outros produtos mais eficazes”, acrescenta Moron. Quanto ao uso na higiene íntima, ela o indica desde que não exista nenhum problema específico que necessite tratamento. 

Para Soares, é possível criar fórmulas balanceadas para cada tipo de pele. Isso depende dos óleos vegetais, óleos essenciais e extratos de ervas contidos nas fórmulas.“Para retirar maquiagem eu utilizo um óleo vegetal puro. Por exemplo, o óleo de coco ou de oliva. Em seguida, lavo meu rosto com sabonete natural”, sugere.

“O uso de sabonete de glicerina artesanal é um tratamento terapêutico obtido através do equilíbrio de óleos, manteigas e extratos vegetais e óleos essenciais, que resulta em uma limpeza suave, hidratação suficiente e um tratamento simples e diário para a pele”, defende Mallman.

Para finalizar, Steiner reitera os cuidados que devem ser tomados: “A formulação do sabonete precisa estar estável, com perfumes, conservantes e agentes controladores das bactérias em doses adequadas. Cada sabonete, seja de glicerina ou não, vai precisar ter aprovação da ANVISA em termos de eficácia e segurança”.

Foto 1: Pixabay: Gadini / CC BY 2.0
Foto 2: Vinicius Pinheiro / Flickr / CC BY-SA 2.0


Veja também:
Um caminho natural para a beleza
Sabonetes artesanais
Dicas para cuidar da pele oleosa