Namu é

Conheça mais sobre o NAMU

Saiba mais sobre

Reiki diminui o estresse

O pesquisador Ricardo Monezi, da Unifesp, mensurou os efeitos da prática oriental de imposição de mãos

Shutterstock

Evidências sugerem que reiki pode aumentar a qualidade de vida e a percepção de bem-estar

Pesquisas brasileiras sugerem que o reiki pode diminuir o estresse e melhorar a qualidade de vida. As experiências foram feitas pelo biólogo Ricardo Monezi, pesquisador associado da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e professor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). O estudo foi apresentado durante o 4º Simpósio de Medicinas Tradicionais e Práticas Contemplativas, que NAMU acompanhou. 

Em seu doutorado (1), Monezi mensurou os efeitos da terapia de origem japonesa em pessoas da terceira idade com altos níveis de estresse. Um grupo recebeu reiki e outro imposição de mãos feitas por leigos. Os dois grupos não sabiam qual terapia estavam recebendo.

Ao final de dois meses de tratamento, os pacientes foram submetidos a um questionário de qualidade de vida formulado pela Organização Munidal da Saúde. Cerca de 80% das pessoas que receberam reiki passaram para a condição de ausência de estresse e 20% passaram para a condição de alerta. No grupo que não recebeu aplicação de reiki, só 6 (26%) chegaram à ausência de estresse, enquanto 7 (30%) conseguiram deixar a condição de estressados para o estado de alerta. Quase metade (10) não saiu da condição de estresse. Aqueles que receberam reiki também relataram melhora na vida sexual. 

As pessoas que receberam reiki também apresentavam sintomas biológicos de relaxamento, como o aumento da temperatura da pele do dedo indicador, diminuição da condutância elétrica da pele e diminuição da contração de músculos da testa.

"Os números analisados do ponto de vista estatístico demonstraram uma significante correlação entre reiki e diminuição de estresse", afirma Monezi, ressaltando que não se pode dizer que haja uma relação de causa e consequência, como em muitos estudos de medicina integrativa.

“Talvez o reiki seja uma ferramenta maravilhosa para promover o chamado envelhecimento ativo”, afirma  Monezi, que, além de cientista, é terapeuta da prática. O pesquisador ressalta a importância do toque físico, sem espiritualidade: “Muitas vezes buscamos carinho em forma de toque. A imposição de mãos tem a capacidade de transformar, ressignificar. Pode transformar o indivíduo que está passando pelo processo de fragmentação, causado por doenças.”

Campos eletromagnéticos

Monezi relata em sua tese que os benefícios podem estar relacionados à interação entre os campos eletromagnéticos dos seres vivos. "Podemos sugerir que o conjunto de alterações fisiológicas encontradas, decorrentes do tratamento de impostação de mãos aplicado sobre os animais, possam estar ligados a interações entre os campos eletromagnéticos dos animais e da pessoa que realizou a impostação", escreveu em sua dissertação de mestrado sobre reiki.

Mais sobre o simpósio 

Como fica o cérebro no estado de transe

Uma educação para o presente

Meditação cristã no mosteiro de São Bento

Meditação também é ciência

A visão da medicina tibetana para doenças crônicas

SUS já oferece acupuntura e homeopatia

A medicina indígena e do candomblé 

O monge budista e pesquisador da Emory University, Geshe Lobsang Tenzin Negi, fala sobre o equílibrio entre o material e o espiritual

II Encontro de Mindfulness e Promoção da Saúde: o poder da meditação segundo a ciência

Referências

(1) OLIVEIRA, R. M. J.. Efeitos da prática do reiki sobre aspectos psicofisiológicos e de qualidade de vida de idosos com sintomas de estresse: estudo placebo e randomizado. São Paulo, 2003. 75p. Tese (Doutorado) – Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo.
 

(2) OLIVEIRA, R. M. J.. Avaliação de efeitos da prática de impostação de mãos sobre os sistemas hematológico e imunológico de camundongos machos. São Paulo, 2003. 75p. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo.