Namu é

Conheça mais sobre o NAMU

Saiba mais sobre

Papa Francisco entra na briga para proteger o meio ambiente

Encíclica da Igreja Católica aponta responsabilidade humana na crise climática e pede soulções imediatas para acabar com os problemas ambientais e sociais gerados pelo aquecimento global

Felipe Barra / Flickr: Ministério da Defesa / CC BY 2.0

O texto vazado convida as pessoas de todo o mundo a participarem da tarefa da proteção ambiental

A revista italiana L’Espresso vazou na última segunda-feira (15) um rascunho da encíclica do papa Francisco sobre o meio ambiente. O texto, previsto para ser publicado nos próximos dias, é um documento de 192 páginas. Boa parte do conteúdo foi divulgado no website da revista italiana. Assinado pelo papa Francisco, o material alerta a humanidade para a urgência de realizar mudanças no estilo de vida e no consumo de energia. Segundo o conteúdo da encíclica, só assim será possível abrandar a crise climática mundial.

O rascunho da encíclica diz que enquanto podem haver outros fatores envolvidos na mudança climática, “diversos estudos científicos indicam que a maior parte do aquecimento global nas últimas décadas ocorre em função de uma grande concentração de gases do efeito estufa, emitida sobretudo em razão da atividade humana”.

O texto afirma que a mudança climática é a maneira de o planeta protestar pelo uso e abuso irresponsável dos bens criados por Deus. “Nós crescemos pensando que éramos os donos e dominadores da Terra, autorizados a saqueá-la”, diz o rascunho. “A violência que existe no coração humano, ferido pelo pecado, também se manifesta nos sintomas das doenças que vemos na terra, na água, no ar e nas coisas vivas".

Outro ponto discutido é o acesso à água potável, descrito como um “direito humano essencial, fundamental e universal”. O documento aponta os efeitos desproporcionais das mudanças climáticas sobre as populações pobres, cujos “meios de subsistência dependem fortemente de reservas naturais”. Também acusa aqueles com mais recursos e maior poder econômico de "criar os problemas ou ocultar os sintomas" das mudanças climáticas.

O texto do rascunho convida as pessoas de todo o mundo a participarem da tarefa da proteção do meio ambiente e encerra com uma mensagem de esperança: "O Criador não nos abandona, ele nunca recuou em seu plano de amor. A humanidade ainda tem a capacidade de trabalhar em conjunto para construir a nossa morada comum".

De acordo com a Reuters, o Vaticano afirmou que essa ainda não é a versão final do documento, que permanecerá sob embargo até quinta-feira.


Veja também:
Leonardo Boff diz que papa Francisco o consultou para escrever a encíclica do meio ambiente