Namu é

Conheça mais sobre o NAMU

Saiba mais sobre

O que posso fazer para consumir moda com mais consciência?

Considerar a quantidade de recursos naturais envolvidos na produção das peças já é um bom começo

StockSnap / Pixabay / CC0 Creative Commons

Qualquer pessoa, seja de cidade grande ou pequena, consome moda. Até mesmo um averso à shopping segue alguma tendência. Mas será que todos sabem a real procedência de cada peça? Qual o custo efetivo do produto? Quais instituições e práticas são apoiadas ao passar o cartão de crédito no caixa?

Independentemente de grifes e preços, é difícil saber a origem das roupas que compramos, já que, normalmente, a etiqueta se restringe a “made in”. Mesmo que o consumidor tenha uma ideia do custo da matéria-prima, cada marca tem um valor embutido distinto, que inclui aluguel de loja e funcionários. Porém, é importante considerar a quantidade de recursos naturais envolvidos na produção dessas peças.

Por mais confortáveis, versáteis e bonitas que sejam, as roupas passam por processos desconhecidos, sendo preciso considerar a consequência que a produção delas causa na natureza e na sociedade. Por isso, é válido repensar a necessidade de consumir alguns tipos de roupas ou até apoiar grifes acusadas de más práticas.

Com o fácil acesso à informação, é possível pesquisar sobre marcas que respeitam o meio-ambiente e praticam o conceito de “moda sustentável”. Em outras palavras, são empresas preocupadas em trabalhar com recursos renováveis e ecológicos, o que significa que o processo produtivo é rigoroso com o impacto ambiental.

Por exemplo, o termo “lavagem” para calças jeans não foi criado à toa, uma vez que para se produzir um par utiliza-se, em média, onze mil litros de água, ou seja, o equivalente a 55 dias de água consumidos por habitante no Brasil. Caso você viva em uma cidade que já sofreu seca e racionamento, imagine o impacto de uma peça dessas na vida da sua família. O mercado de acessórios como bolsas e sapatos também exerce um grande efeito no meio-ambiente, pois além de explorar recursos limitados, pode até envolver animais em extinção no processo.

Você não precisa ser um cientista ou jornalista para buscar este tipo de informação, muito menos para começar a consumir com mais consciência. Existem algumas alternativas que, aos poucos, farão com que deixe de adquirir roupas novas sem necessidade: 

Repetir

Até mesmo a realeza britânica repete trajes, então por que não poderíamos? Pode parecer trivial, mas há muita resistência em se repetir roupas em eventos especiais.

Com a popularização das redes sociais, existe a preocupação em não ser fotografado com o mesmo conjunto sempre, mas a vergonha deve ser deixada de lado e substituída pelo orgulho de ser uma pessoa sustentável que não pratica o desperdício. A diversão será garantida, independentemente da roupa que você vestir.

Reformar

Transforme suas peças existentes ou encontre novos usos para elas. Há tutoriais na internet com sugestões de reforma, e além de você ganhar uma roupa nova, estará praticando habilidades de corte e costura.

Brechós

Quem pensa que brechós vendem somente roupas antigas, precisa explorar melhor. Inclusive, existem brechós online e sites confiáveis de revenda de roupas para quem prefere comprar na internet. Também vale a pena procurar páginas nas redes sociais, pois os próprios usuários anunciam itens usados e negociam direto com os interessados.

Além de encontrar belas peças à preços amigáveis, é notório que se economiza todos os recursos envolvidos na produção de um novo traje. Apesar dos itens comercializados em brechós serem de segunda mão, o processo de curadoria é rigoroso quanto à qualidade, então é possível encontrar peças em muito bom estado. Caso você tenha roupas que não quer mais, também poderá vendê-las ou trocar por outras.

Pedir emprestado ou alugar

Não é crime algum pedir algo emprestado quando se precisa de um artigo para um único evento. É só pedir! Você pode até fazer um pequeno encontro para que seus amigos troquem peças entre si. Caso não seja possível pegar emprestado, existem empresas que alugam vestidos de festa e acessórios para uma ocasião especial, e ainda entregam em casa.

Abstinência

Para quem está acostumado a comprar roupa com frequência pode ser um desafio quebrar esse hábito. Se evitar compras desnecessárias, resistir às promoções, descadastrar-se de e-mails de lojas ou substituir passeios ao shopping por outras atividades, a quantidade de recursos que serão economizados é grande.

Caso você já tenha considerado todas as alternativas e mesmo assim não escapou da necessidade de comprar algo novo, esgote as pesquisas e, sempre que puder, opte por uma empresa ou produtor sustentável, que preze pelo comércio justo, utilize recursos renováveis ou materiais reciclados.

Fotos: Pixabay