Namu é

Conheça mais sobre o NAMU

Saiba mais sobre

Já pensou em se tornar vegano?

Documentário mostra a experiência de diversas pessoas que aderiram esse estilo de vida

Divulgação

Para que o projeto aconteça, os organizadores do longa realizaram uma campanha de financiamento coletivo para que vegetarianos, veganos, simpatizantes e ativistas da causa animal possam contribuir

Documentários para assistir sobre vegetarianismo e a relação do consumo de carne com o meio ambiente

O gosto pelo cinema e o desejo de esclarecer informações sobre o mundo do veganismo fez com que o cineasta Juliano Grafite pensasse no documentário Quando me tornei vegano. O projeto busca relatar a transição social, física e mental de pessoas que aderiram a esse estilo de vida. A ideia é mostrar que é possível, apesar das dificuldades iniciais, parar de consumir produtos de origem animal, principalmente com os conhecimentos necessários para isso.

O interesse pelo vegetarianismo tem crescido no Brasil. Segundo uma pesquisa realizada em 2012 pelo Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (IBOPE), 15,2 milhões de brasileiros adotaram esse hábito alimentar. A negligencia na alimentação e os "achismos" do que se deve ou não comer, faz com que muitos abandonem a causa ou a vejam com maus olhos. A primeira coisa a se fazer, quando tomada a decisão de abandonar o consumo da carne, é procurar um profissional da saúde que possa guiar essa transição. Mas como o número de entusiastas tem aumentado, diversos diretores têm se engajado para contribuir nessa passagem, assim como Juliano.

“Eu quero realizar esse documentário porque em minha vida como vegetariano e vegano ouvi muita gente dizer que o vegetarianismo era a coisa certa a se fazer, mas que não conseguiria por achar muito difícil. Na verdade, eu sei que não é tão difícil assim e que se obtiverem ajuda fica mais fácil. Então resolvi criar esse filme para auxiliar no processo dessas pessoas”, relata. O longa contará com a participação de personalidades como o apresentador e cantor João Gordo, a apresentadora e jornalista Soninha Francine, a ativista Nina Rosa Jacob e a nutricionista Paula Gandin.

Para que o documentário seja realizado, o cineasta está com uma campanha de financiamento coletivo, crowdfunding, no site Kikante. O objetivo da iniciativa, que termina no dia 27 de maio, é arrecadar 90 mil reais para custear a finalização e produção do longa. Os interessados em ajudar podem doar a partir de 15 reais e receber recompensas como ingressos, consultoria de nutrição e sementes Go Vegan. A intenção é que seja exibido em novembro deste ano em salas de cinema, nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro.

De acordo com Juliano, é essencial conscientizar a sociedade do mal que causa o excesso de consumo de carne. “É importantíssimo pelo sofrimento de bilhões de animais que morrem sem necessidade; pela saúde das pessoas que comem carne e ficam doentes sem saber que isso contribui; pelo nosso planeta que sofre o mau uso do solo e da água; pelo enorme impacto na camada de ozônio; e pelo aquecimento global que é causado pela produção de carne”, declara. Diferente de alguns trabalhos que utilizam imagens fortes de abetedouros, este documentário mostrará por meio da experiência dos entrevistados os caminhos que podem ser seguidos para quem almeja uma vida sem carne e derivados de origem animal.

Saiba mais sobre o projeto:

 


Veja também:
Alimentação vegetariana para atletas
Todo mundo pode ser vegetariano?
Em defesa da dieta vegetariana