Namu é

Conheça mais sobre o NAMU

Saiba mais sobre

Dicas simples para fazer uma horta de temperos em lugares com pouco espaço

Com uma dose de criatividade e dedicação, é possível ter em casa uma horta com salsinha, cebolinha, coentro e muito mais. Confira as dicas da Julhiana Costal e do Daniel Pires do Espaço ArboreSer

Marina Fontanelli

Imagine a cada refeição poder colher os temperos fresquinhos da horta direto para o panela ou para o prato. Esse é o sonho daqueles que anseiam por uma horta de ervas em casa. O aroma e o sabor de ervas frescas costumam ser mais intensos do que aquelas que encontramos nos mercados. Isso sem falar nos benefícios de usufruir de alimentos sem agrotóxicos e na relação de proximidade com o que comemos. No entanto, a configuração de grande parte dos lares urbanos - sem quintais ou espaços livres - parece nos fazer crer que, para muita gente, esse ainda é um desejo muito distante da realidade.

Com um pouco de criatividade e dedicação, é possível ter em casa uma pequena horta com salsinha, cebolinha, manjericão, coentro, hortelã, entre outros, ocupando quase nada de espaço. É o que afirmam Julhiana Costal e Daniel Pires Ribeiro, responsáveis pelo curso de agricultura urbana no Espaço ArboreSer. "Quando você tem uma horta, você cria outra relação com o alimento. Não é indicado colher o pé inteiro, é preferível colher só aquilo que será consumido naquela refeição", diz Julhiana. Reutilizar recipientes que iriam para o lixo é outro conselho básico da dupla."Como é agricultura urbana tudo é um desafio, porque precisamos plantar em lugares que não condizem com a produção de alimentos, por isso, nós temos de testar e adaptar", reflete.  

Como plantar?

Daniel e Julhiana ensinam que uma boa opção é plantar em um caixote - com cerca de 60 cm de comprimento por 40 cm de largura e 40 cm de altura - uma média de oito mudas que podem ser de hortaliças como alface, couve e almeirão intercaladas com as ervas como cebolinha e salsinha.

“Os manuais de agricultura convencional ensinam que você tem de dar um espaço de pelo menos um palmo entre as plantas, mas tratando-se de agricultura urbana, podemos plantar mudas mais próximas e fazer o manejo adequado que elas também se desenvolverão bem”, diz Julhiana que já ministrou diversas oficinas sobre agricultura urbana em no Sesc e em programas da Prefeitura de São Paulo. "Nós indicamos a policultura, que é o plantio de plantas de famílias diferentes em uma mesma horta, porque cada tipo de família absorve um nutriente. Essa técnica ajuda a não esgotar o solo para o próximo plantio”, explica.

horta caseira

Segundo Daniel, a ideia de plantar oito mudas num caixote é exatamente otimizar espaço. “Se a pessoa tem na casa um corredor estreito ou uma sacada, ela já consegue fazer”, afirma. Julhiana lembra que se você tem um espaço pequeno, é fundamental fazer, rotineiramente, o manejo da horta para não deixar que algumas plantas tomem conta de outras.

Eles afirmam que também dá certo plantar apenas os temperos como coentro, salsinha, cebolinha, salsão, entre outros, em um único caixote. "Mas é bom levar em conta essa questão de plantar próximas as famílias diferentes. A cebolinha é de uma família, a salsinha é de outra. Mas, é legal sempre pesquisar para criar uma diversidade mesmo que seja só um caixote”, sugere Julhiana. “Outra dica é intercalar aquelas plantas que crescem para cima com aquelas que crescem para os lados”, acrescenta.

Julhiana também aconselha prestar atenção no crescimento da raiz na hora de intercalar as plantas. "O alecrim é mais indicado plantar em um vaso sozinho, porque ele cresce mais e pode atrapalhar o desenvolvimento das outras ervas."

Mantendo o equílibrio

De acordo com o Daniel e a Julhiana, a policultura também é ótima para o controle biológico. "Por exemplo, nós plantamos o funcho perto da couve, porque o pulgão adora atacar couve e o funcho é uma planta que a joaninha gosta muito pelo aroma que ele libera e a joaninha é uma predadora do pulgão”, conta. Na horta do ArboreSer, há muitas ervas aromáticas espalhadas pelos canteiros para atrair predadores e repelir outros.

“Na floresta, há pulgão, cupim e todos esses bichinhos que o ser humano chama de praga, mas que na verdade apenas são considerados pragas quando há uma proliferação a mais do que deveria e isso se dá por conta da produção de alimentos que se tem hoje baseada em desmatamento para produção de monoculturas”, reflete Julhiana.

caixote com hortafuncho

Em que terra plantar?

“Nós usamos a técnica de plantio que leva apenas palha e composto orgânico. O custo é quase zero, porque você pode fazer a compostagem em casa e conseguir a palha nos finais de feira assim como o caixote”, aconselha Julhiana. Como adubo, eles utilizam apenas o que foi retirado da compostagem, pois são adeptos do veganismo e não usam nada de origem animal na horta. "Não usamos nem esses que o pessoal costuma usar em produção orgânica como farinha de osso, esterco, húmus de minhoca, entre outros", afirma. 

Para quem não faz compostagem em casa e não está com pique para começar a fazer, uma opção é comprar alguns adubos orgânicos que podem ser encontrados em lojas de jardinagem. 

Há também uma crença de que alguns alimentos podem ser utlizados como adubo. Confira a opinião da Julhiana e do Daniel.

Pó de café: ele ajuda a repelir formigas, o pessoal até coloca por cima de composteiras. Mas como adubo, o ideal é que ele passe por um processo de compostagem, porque é uma matéria orgânica que não está pronta para ser absorvida pelas plantas.

Cascas de frutas: A planta não come a casca, ela consome os nutrientes derivados do processo de decomposição daquela matéria, por isso as cascas também precisam passar pela compostagem.

Casca de ovo: Nós não usamos a casca de ovo no ArboreSer por ela ser de origem animal, mas o pessoal costuma usá-la para repelir lesmas e caracóis. Também por ela ser uma matéria já em estado mineral, se você triturá-la e colocar na terra, a planta irá absorver os nutrientes

Sol e água

Segundo Julhiana, uma regra básica é você sempre montar o canteiro ou colocar o caixote em um lugar que tenha, no mínimo, quatro horas de luz solar direta. Isso independe se é o sol da manhã ou da tarde, o importante é a que a horta receba essas quatro horas de sol.

"Um aspecto interessante de se plantar nesses caixotes e com a palha é que se você não tem essas quatro horas de luz solar, você pode mover o caixote. Eles são muito leves. Se ele estivesse cheio de substrato, já não seria tão fácil movê-lo e, hoje, há telhados e sacadas que não aguentam muito peso", pontua Daniel.

salsinha plantada em garrafa térmica

Segundo Daniel, as ervas e hortaliças gostam bastante de sol e de água, por isso é preciso regar uma vez ao dia. "Só quando está muito calor, nós regamos duas vezes. Uma pela manhã e outra no fim da tarde que são os melhores horários", explica. Não é recomendado regar no horário de pico do sol, porque pode acabar prejudicando as folhas. "E se for para escolher entre o final da tarde e a manhã, prefira de manhã, até às 9h no máximo", indica Julhiana.

Aproveite o que você já tem

Além do famoso caixote de feira, outra dica é reutilizar os objetos velhos e quebrados que já temos em casa. Lá no ArboreSer, há ervas plantandas em liquidificador quebrado, garrafa térmica, panela, tênis, banheira de bebê, entre outros recipientes que foram descartados por eles ou encontrados no lixo. 

"Se você tem um balde que rachou embaixo, você pode plantar uma berinjela, um pimentão ou jiló. O balde já é um vaso perfeito, nem é tão criativo usá-lo", brinca Daniel.

horta em garrafa térmicahorta em liquidificador

"Para as ervas, o indicado é, no mínimo, o recipiente ter uns 20 centímetros de diâmetro. Já para as hortaliças, é interessante pelo menos um caixote pequeno de feira - com 30 centímetros de largura e 20 centímetros de comprimento. Mas se você quiser reaproveitar o recipiente, por exemplo, uma panela que não chega a ter 20 centímetros, algumas espécies como rúcula e almeirão se desenvolvem bem mesmo assim. Você também pode plantar as hortaliças em vasos individuais e usar latas de embalagem, por exemplo", indica Daniel.

horta em panelas
Panela velha é que faz uma boa horta

"Uma senhora que fez um curso conosco usou somente potes de paçoca para plantar temperos e deu certo. Mas a regra é pelo menos 20 centímetros", reforça Julhiana. "Para quem tem um pouco mais de espaço, um recipiente muito interessante é o caule de bananeira, porque é um sistema de irrigação natural", diz Julhiana.

plantação em caule de bananeira
Plantar em caule de bananeira pode ser uma opção para quem tem mais espaço na casa

Deixe florescer

A última dica da Julhiana e do Daniel é deixar a plantar cumprir seu ciclo e florescer, para assim, ser possível coletar suas sementes. "O legal de deixar elas seguirem seu ciclo é você poder ter em casa um banco de sementes e conseguir refazer o plantio. Por exemplo, se você quer ter alface, você pode plantar um pé para consumo e outro apenas para deixar florescer, ou então, não colher o pé inteiro e ir pegando algumas folhas aos poucos", explica Daniel. 

"Na floração,as plantas ficam bem diferente, normalmente, elas ficam fraquinhas, porque gastam muito energia", conta Julhiana. Além de coletar as sementes, aproveite para apreciar a beleza e diversidade das flores que variam de acordo com a espécie.  

flor de rúcula
No ArboreSer, as flores da alface roxa estão quase brotando 

Fotos: Marina Fontanelli