Namu é

Conheça mais sobre o NAMU

Saiba mais sobre

Curitiba e outros 10 municípios assinam pacto pela proteção das nascentes

Medidas para enfrentar a crise hídrica estão produzindo uma série projetos voltados para a proteção ambiental

Prefeitura de Curitiba

A medida também busca ensinar e educar a sociedade sobre a importância da conservação da natureza

A crise hídrica que atinge o Sudeste trouxe à tona a importância de proteger e preservar as áreas de nascentes incluindo aquelas que estão no perímetro urbano. A gravidade da escassez serve como alerta para todas as regiões do Brasil. Preocupados com o que pode estar por vir, dez munícipios da região metropolitana de Curitiba assinaram, nessa segunda-feira (23), o Pacto pelas Nascentes durante o Fórum de Secretários de Meio Ambiente da Região Metropolitana.

O objetivo da nova medida é fazer com que cada município se comprometa em diagnosticar, classificar, preservar, conservar e valorizar as nascentes, principalmente as localizadas em área urbana. A medida também busca ensinar e educar a sociedade sobre a importância da conservação da natureza.

“O pacto é uma medida excelente, porque aquela realidade de falta d’água chegou, é hoje. O pacto faz os municípios se lembrarem de sua responsabilidade e se comprometerem, conforme sua capacidade, na preservação dos recursos hídricos”, disse 1 o secretário municipal de Meio Ambiente de Campo Magro, Alvir Jacob.

Alvir Jacob

O secretário municipal de Meio Ambiente de Campo Magro, Alvir Jacob, mostra o mapa hidrográfico da região

Jacob relatou que há quatro anos o município de Campo Magro, que tem 100% do seu território como área de proteção,  vem mapeando suas nascentes e já foram identificadas 380. O próximo passo será uma homenagem aos proprietários de terra onde se localizam as nascentes, por mantê-las preservadas em prol de toda a comunidade.

As cidades que aderiram ao pacto são: Araucária, Campo Magro, Cerro Azul, Colombo, Contenda, Curitiba, Doutor Ulysses, Fazenda Rio Grande, Tijucas do Sul e Itaperuçu.

Nascentes do Brasil

No domingo, 22 de março, em homanagem ao Dia Mundial da Água, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR) também lançaram um programa nacional de nascentes2. A ideia é proteger 1.000 nascentes em áreas rurais do Brasil. O projeto vai identificar, cercar, limpar, controlar a erosão e replantar espécies nativas. No vídeo abaixo, Nelson Ananias Filha, assessor técnico da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil, fala da importância do uso sustentável da água e ensina como fazer a proteção das nascentes:

Assine a petição  

A ONG WWF-Brasil está organizando um abaixo-assinado pela elaboração de um plano nacional para a proteção e a recuperação de nascentes, rios, lagos, córregos e outros mananciais. 

 

Foto 1: Prefeitura de Curitiba

Foto 2: Divulgação WWF-Brasil

Referências

1. PREFEITURA DE CURITBA. Curitiba e municípios vizinhos assinam pacto pela proteção das nascentes. 2014. Disponível em. <http://www.curitiba.pr.gov.br/fotos/album-curitiba-e-municipios-vizinhos-assinam-pacto-pela-protecao-das-nascentes/22479>. Acesso em: 25 mar. 2015.

2. CNA/SENAR. Programa especial Proteção de Nascentes. 2015. Disponível em: <http://protecaonascentes.strikingly.com/>. Acesso em: 25 mar. 2015.