Namu é

Conheça mais sobre o NAMU

Saiba mais sobre

Como fortalecer unhas fracas e quebradiças

Dermatologista Valéria Campos dá dicas de como cuidar das unhas e mantê-las sempre com o aspecto bonito e saudável

Mike Fernwood / Flickr / CC BY-SA 2.0

No Brasil, mais da metade das mulheres sofre com unhas enfraquecidas, quebradiças e descamadas

As unhas são como o espelho da nossa saúde. Além de refletirem a quantas anda a alimentação que fazemos, transmitem se estamos bem de forma geral. Isso não significa que ir à manicure toda semana é uma solução para disfarçar o mal-estar do corpo. Não adianta pintá-las se não mudarmos alguns hábitos.

As unhas estão relacionadas ao processo de proteção do organismo ao meio externo, por isso possuem queratina, uma proteína de origem animal muito importante para essa função, presente também nos cabelos.

O crescimento delas recebe vários estímulos nutritivos e hormonais. Além disso, elas também podem apresentar alterações na sua estrutura e no seu fluxo de crescimento dependendo das quantidades de vitaminas, proteínas e outras substâncias presentes no nosso corpo.

Porque as unhas ficam fracas?

Com tantos fatores determinantes relacionados ao aspecto das unhas, é muito comum que elas sofram alterações, ficando enfraquecidas, quebradiças e descamadas.

"As causas dessa fragilidade podem ter origem endógena [interior], como queda na quantidade de proteínas sanguíneas [hipoproteinemia] e fatores circulatórios ou exógena [exterior], como frio, lavagens repetidas das mãos e contato com substâncias de baixa acidez [álcalis]", explica a dermatologista Valéria Campos.

Segundo ela, as possíveis causas desse incômodo podem ser alimentícias. Pessoas com anemia, problemas de absorção vitamínica, anoréxicos e vegetarianos sem acompanhamento nutricional podem sofrer com o enfraquecimento das unhas. Por isso, é muito importante manter uma dieta balanceada e rica em proteínas, sejam de origem vegetal ou animal.

Campos também explica que existe uma multiplicidade de tratamentos à base de vitaminas, incluindo a vitamina B7 (biotina), vitamina C, vitamina E, vitamina B6 (piridoxina), vitamina D, ferro, cálcio e aminoácidos.

São também muitos os cuidados que devem ser tomados com relação às unhas. Segundo Campos, cerca de 60% das mulheres no Brasil sofrem com unhas fracas e isso se deve muito ao hábito de se estar sempre com elas pintadas.

“As brasileiras apresentam mais queixas de enfraquecimento e descamação nas unhas porque são campeãs no uso de esmalte. Costumamos tirar o esmalte na manicure e já colocar outro sem nem um dia de descanso”, expõe a dermatologista.

Além do próprio esmalte, o uso exagerado de produtos como sprays secantes, contato com detergentes e exposição excessiva ao calor também podem deixar as unhas debilitadas.

Hábito de roer as unhas

Uma outra causa muito comum para o enfraquecimento das unhas é o hábito de roê-las. Para combater esse problema, Campos sugere o uso de produtos fortalecedores específicos.

“O produto Onymyrrhe, obtido a partir da planta Mirrha [Commiphora abyssinica], além de ter uma ação fortalecedora, atua ativando a circulação sanguínea local e favorece a hidratação da queratina que está se formando na matriz da unha”, conta a dermatologista.

A Onymyrrhe tem um forte sabor amargo, o que evita a roeção de unhas. “O único problema desse produto, no entanto, é que pode deixar a unha amarelada”, pondera Campos.

Como cuidar

Além de manter uma dieta balanceada e cuidar da saúde, existem outras muitas formas de contribuir para o bem-estar das unhas. Campos lista algumas orientações para esse fim:

  • Mantenha as unhas secas e limpas, isso ajuda a manter as bactérias e outros micro-organismos infecciosos longe delas;
  • Corte-as retas, não faça curvas em suas bordas;
  • Evite morder as unhas e não remova sua cutícula;
  • Aplique óleo de secagem rápida nas unhas limpas e espere secar antes de esmaltá-las;
  • Retire o esmalte no mínimo um dia antes de fazer as unhas ou ir à manicure, assim a unha respira um pouco. O ideal mesmo é deixar as unhas três dias por semana sem esmalte;
  • Evite usar esmaltes e sprays de secagem rápida, pois eles ressecam as unhas;
  • Aproveite o inverno para retirar o esmalte das unhas dos pés, depois, não aplique nada, nem base;
  • Evite agressões desnecessárias às unhas. Use luvas ao mexer com produtos de limpeza;
  • Use hidratante diariamente nas mãos, principalmente se não tem o hábito de usar luvas para manusear produtos de limpeza;
  • Reporte qualquer irregularidade nas unhas ao seu dermatologista. Manchas escuras, secreções e dor podem ser sinais de problemas sérios de saúde;
  • Sobre os produtos de tratamento, como bases fortalecedoras, Campos explica que vitaminas, pantotenato de cálcio (vitamina B5), ceramidas e outras fontes de proteínas estão presentes na maioria das formulações.

"Uma fórmula que está fazendo muito sucesso contém células-tronco da maçã e colágeno. Além do esmalte durar mais na unha, promete aumento da nutrição e fortalecimento da mesma", afirma a dermatologista.

Como agem os fortalecedores

Segundo a farmacêutica Christine Prado Chaves, muitos desses agentes fortalecedores têm a função de prover micronutrientes diretamente na unha, como as vitaminas e aminoácidos.

“Componentes mais complexos formam um filme coeso e resistente que previne a quebra e deixa a unha mais dura”, explica Chaves.

A farmacêutica explica que proteínas como a queratina e as ceramidas ajudam a aumentar a hidratação e a minimizar o problemas de origem externa.

Receita caseira fortalecedora

Já está claro que são várias as questões externas e internas que estimulam o enfraquecimento das unhas. A mudança de hábitos junto ao uso de bases pode reverter o quadro de quebra e descamação

O óleo de cravo, por exemplo, é um produto que pode ajudar com casos de unhas com pouca hidratação, porém, segundo Campos, não é um tratamento de referência para fortalecimento.

“Muitos dos produtos disponíveis no mercado contêm formaldeído, que prometem o fortalecimento das unhas, mas, na verdade, apenas mascaram o problema, sem tratar sua causa”, alerta. Uma forma de não se enganar com essas bases é fazer o seu próprio fortalecedor caseiro. Campos passa a receita:

  • Azeite de oliva: 2 colheres de sopa
  • Óleo de amêndoas: 2 colheres de sopa

“Misturar e colocar numa vasilha que seja suficientemente funda para mergulhas as unhas. Diariamente, antes de dormir, colocar no microondas o suficiente para amornar e deixar as unhas mergulhadas por cinco minutos.

Enxugar com um papel e evitar lavar as mãos com sabão pelo maior tempo possível. O ideal é fazer esse procedimento antes de dormir, durante sete dias. O mesmo óleo pode ser reaproveitado por várias vezes. Funciona apenas nas unhas sem esmalte”, explica a dermatologista.

Removedor de esmalte é a melhor escolha

Os produtos usados na unha também são responsáveis pela saúde delas. Por isso, é importante estar atento à qualidade deles e das ferramentas utilizadas nas unhas, como cortadores e alicates.

Um produto considerado dos mais danosos às unhas é a acetona. Por isso, é recomendável substitui-la por removedores de esmalte. “A acetona por si só já é capaz de danificar a unha e até mesmo a pele em volta. Ela pode ressecar e até retirar a película protetora da unha”, explica Campos.

A dermatologista conta que além de os removedores não terem acetona, eles possuem lubrificantes e emolientes em sua formulação, o que proporciona às unhas mais hidratação. “A tecnologia aplicada aos removedores evoluiu tanto que hoje é possível encontrar produtos com silicone e vitaminas, por isso são os mais recomendados pelos dermatologistas”, completa Campos.


Veja também:
Como manter as unhas bonitas?
Esmalte com substâncias cancerígenas
Ayurveda e beleza natural