Namu é

Conheça mais sobre o NAMU

Saiba mais sobre

Como escolher um salão de beleza

Conheça algumas regrinhas básicas para utilizar na hora de selecionar qual será o local onde você vai cuidar do seu visual

kaleido-dp / Pixabay / CC Public Domain

O salão de beleza perfeito só existe nos nossos sonhos. Entretanto, a busca por um estabelecimento adequado é necessária, principalmente quando queremos encontrar um lugar que tenha nosso estilo seja na decoração, no preço e na forma de atendimento. Muito além dessas questões, há também os cuidados básicos que precisam ser levados em conta na hora da escolha. 

Questões sanitárias

À primeira vista, limpeza e organização do ambiente são os pontos mais importantes. Antes de escolher um estabelecimento, esteja certo de que o mesmo segue as regras da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Segundo Rui Mendes, consultor da empresa Negócios & Beleza, um dos pontos ao qual devemos ficar atentos são os serviços de manicure e pedicure. “Todos os utensílios devem ser descartáveis higienizados e esterilizados por estufa ou autoclave. Os alicates devem ser acondicionados em envelopes individuais e estes rasgados na frente do cliente”, afirma. O estabelecimento também deve manter higienizados escovas, pentes, capas e oferecer toalhas limpas, que devem ser lavadas a cada uso. Os produtos para cabelos também devem ser analisados. “Todos devem ser registrados na Anvisa. Alguns itens são proibidos e não devem ser usados, como o formol”, exemplifica Rui.

Quanto vale

Esqueça a ideia de que a embalagem custa mais caro que o conteúdo. Quando o assunto é salão, essa relação não é certeira. Existem muitos espaços bem decorados, com serviços eficientes e valores razoáveis. E vice-versa. Há ambientes simples que cobram preços relativamente altos. Portanto, para não tomar susto na hora de pagar, saiba quanto custa cada serviço. Faça uma média entre os serviços que você utiliza mensalmente para saber se o resultado vai caber ou não no seu orçamento. Outra dica: pesquisar pelo valor do corte e da manicure são ótimos para se ter uma uma ideia da precificação do salão.

Estilos

Pode até parecer uma questão sem importância, mas o estilo do salão e do cabeleireiro influencia sim na experimentação de um serviço, seja corte, coloração, maquiagem ou qualquer procedimento oferecido em um estabelecimento. Geralmente, os profissionais de beleza são contratados pela qualidade de seu trabalho e também por seus gostos, técnicas e as tendências que seguem. Ou seja, o estilo dele ou dela e sua filosofia de beleza geralmente acompanham a do salão.

Para entender melhor, vale ressaltar que há diferentes tipos de belezas. Por exemplo, podemos comparar estabelecimentos com conceitos bastante diferentes em São Paulo: o caso do MG Hair, no Jardim América, um bairro nobre paulistano, e o Circus Hair, localizado no Baixo Augusta, uma área frequentada por um público alternativo. Enquanto o primeiro é um espaço voltado para a beleza clássica, famoso por produzir visuais similares aos das capas de revistas femininas, o segundo foca em construir propostas contemporâneas, com cortes assimétricos, cores fortes etc. Claro, isso não impede que o MG faça um corte moderno e o Circus algo mais clássico. Entretanto, os cabeleireiros desses lugares são famosos por suas respectivas especialidades.

Manicure

Serviços específicos

Hoje em dia, existem salões segmentados para todos os tipos de públicos. Há lugares voltados apenas para o atendimento de homens ou crianças, por exemplo. Encontra-se ainda estabelecimentos especializados no tipo de cabelo ou de serviço. Eles vão desde os salões para pessoas que buscam um tratamento mais natural até os especializados em serviço de noivas etc. Quanto mais específico for o atendimento, mais conhecimento os profissionais desses lugares terão sobre o tema.

Ecologicamente correto

Segundo Rui Mendes, ainda não existe um estabelecimento 100% sustentável no Brasil. “Não conheço nenhum salão com sustentabilidade na acepção da palavra, pois sustentabilidade é um conjunto de atitudes que passam desde a construção até sua operação”, diz. Entretanto, pode-se buscar espaços que se preocupam em poupar o meio ambiente: móveis fabricados ecologicamente corretos, iluminação de LED e captação de energia solar. Uma questão indicada por Rui é o reúso de água. “Na Hair Brasil deste ano foi apresentado um lavatório que usa apenas 5 litros de água. Ele filtra e reutiliza essa água. Não sei qual é a qualidade e o PH, mas sem dúvida é um grande avanço a um custo de quase 10.000 reais”, ressalta. Há também os salões quem têm uma preocupação maior com a toxicidade dos produtos utilizados.

Confiabilidade

Porém, não adianta nada o salão preencher todos os itens acima, se não possui algo imprescindível: a confiança da clientela. Para isto, o salão precisa encorajar que seja criada uma relação contínua e longa entre o cabeleireiro e seus clientes. Outra dica importante é evitar grandes mudanças de visual quando começar a frequentar um espaço. Teste o serviço com uma hidratação ou um corte leve, afinal, podemos nos decepcionar com o trabalho. Isso pode ter resultados piores quando partimos para uma transformação visual mais intensa sem conhecer o trabalho do profissional e o sistema do salão.


Veja também:
Como ter cachos definidos
Mulheres contra a escova progressiva
Low poo: é possível lavar os cabelos com pouco ou nenhum sabão