O que é

A fenomenologia surge na filosofia como ciência sobre a experiência que a consciência tem do mundo, a relação entre a consciência do saber humano e o mundo exterior a ela. Portanto, seu principal objetivo é investigar e descrever os fenômenos enquanto experiência consciente. Isso deve se dar de forma desvinculada de teorias sobre as explicações causais e o mais distante possível de preconceitos e pressuposições. Seu intuito é desnudar “o mistério do mundo e o mistério da razão”, como afirmou Merleau-Ponty, no prefácio da Fenomenologia da Percepção.

A tradição fenomenológica busca estudar as estruturas da consciência do ponto de vista da primeira pessoa. Ela tenta, portanto, desvendar quais são os limites do conhecimento sobre o fenômeno. É um estudo sistemático das figuras fenomenais, daquilo que pode ser percebido. É um tipo de análise que pretende compreender melhor as estruturas centrais da experiência e da intencionalidade humana, explicando como a mente direciona o pensamento a determinados objetos ou à realidade.

Como ciência dos fenômenos puros, cabe à fenomenologia o mundo que é percebido pela experiência imediata. Isso quer dizer que a consciência não é passiva. Ela não compreende a existência das coisas como algo pronto e acabado, mas participando da existência desses objetos.

Para os fenomenólogos, só existe objeto se existe também um sujeito para percebê-lo. Por exemplo, se uma árvore cai em um bosque e não há testemunhas desse fato, então é como se ela nunca tivesse existido.

A fenomenologia é uma filosofia que nasceu na Alemanha, ganhou ecos na França e posteriormente se espalhou. Para a fenomenologia, a redução eidética é um método no qual o filósofo é capaz de ir da consciência individual e concreta das coisas para o âmbito das essências, onde é possível atingir a intuição do "eidos", termo grego que significa "forma". Portanto, essa técnica permite acessar as estrutura mais fundamental e invariável das coisas, ao livrar-se de tudo aquilo que é contingencial e acidental. Para a fenomenologia, a redução eidética é um método no qual o filósofo é capaz de ir da consciência individual e concreta das coisas para o âmbito das essências, onde é possível atingir a intuição do "eidos", termo grego que significa "forma". Portanto, essa técnica permite acessar a estrutura mais fundamental e invariável das coisas, ao livrar-se de tudo aquilo que é contingencial e acidental. Seu alcance abrange uma investigação das estruturas e de vários tipos de experiência: a percepção, o pensamento, a imaginação, a memória, as emoções e a atividade da linguagem.

Para pensar

Se o fenômeno só existe na relação entre sujeito e objeto, como distinguir a realidade das manifestações fenomenais?

O problema do fundamento da realidade é algo que assombra até mesmo os fenomenólogos mais entusiastas. Uma fenomenologia que pretende ser autônoma lida com esta interrogação constantemente. Não é fá...

VEJA MAIS

Possibilidades

veja mais sobre o tema