Namu é

Conheça mais sobre o NAMU

Saiba mais sobre

Meditação para obter equilíbrio

A degradação dos melanócitos pode ocorrer por motivos genéticos, como a idade, ou ambientais, como o estresse

Mariana Heinz_Flickr_devanagari_CC BYND 20

Cabelos brancos podem aparecer antes da hora e já não são apenas sinal de envelhecimento. Normalmente, os primeiros fios perdem a cor entre os 30 e os 35 anos de idade. O que se nota, porém, é que esses fios vêm tomando conta da cabeça de homens e mulheres cada vez mais cedo e entre os maiores culpados desse processo estão o estresse e a alimentação pobre em nutrientes.

Grisalho precoce

Um exemplo desse fenômeno são as mulheres inglesas, que têm ficado com as cabeças grisalhas antes dos 30 anos. Trinta e dois por cento das mulheres londrinas abaixo dessa idade já possuem cabelos brancos. Segundo uma pesquisa de 2011 realizada para a revista Life&Style, há duas décadas esse índice era de 18%. A perda da cor dos cabelos acontece porque os melanócitos, células responsáveis por produzir a melanina que dá cor aos fios, param de funcionar.

Estresse

Os melanócitos ficam nos bulbos capilares, de onde saem os cabelos. Os fios são revestidos por queratina e ela é incolor, sendo colorida pela melanina. As diferentes tonalidades dos fios são decorrentes de dois tipos de melanina: a eumelanina, que produz a coloração preta ou castanha, e a feomelanina, responsável pelas madeixas loiras e ruivas. Quando os cabelos ficam brancos, vemos apenas a camada de queratina que forma e protege os fios.

A degradação dos melanócitos pode ocorrer por motivos genéticos, como a idade, ou ambientais, como o estresse. Os hormônios do estresse podem ter influência nos sinais que instruem os melanócitos a produzir melanina segundo Jennifer Lin, dermatologista que conduz pesquisas em biologia molecular no Centro de Câncer de Harvard. “É concebível que, se o sinal for interrompido, a melanina não levará pigmento até o cabelo”, explica a pesquisadora à revista Scientic American.

Alimentação

Existem algumas opções para evitar que os cabelos fiquem brancos sem o auxílio de produtos industrializados. Simples atos como escolher cereais e alimentos integrais, trocar refrigerante por sucos naturais, incluir azeite de oliva e ingerir frutos do mar, podem contribuir para evitar os fios sem cor. Uma alimentação rica em vitaminas do complexo B (verduras de folhas escuras, cereais e ovos) e cobre (frutos do mar) é essencial para manter a cor natural dos cabelos. O couro cabeludo precisa das vitaminas B6 e B12 para produzir glóbulos vermelhos, responsáveis pelo transporte de oxigênio e nutrientes. 

As receitas naturais exigem maior paciência, pois os resultados não aparecerem imediatamente. Apenas um tratamento em longo prazo pode escurecer os fios esbranquiçados e, assim como as tintas industrializadas, quando se interrompe o tratamento, os cabelos podem regredir para a cor branca.

Chá resolve?

Chá de sálvia bem forte pode reverter os cabelos brancos, segundo escreve Rosy Bornhausen em seu livro Ervas do sítio. Basta aplicar o chá antes de lavar o cabelo e deixar que ele aja por 30 minutos. Para isso, deve-se  utilizar a sálvia comestível, conhecida cientificamente como Salvia divinorum, pois algumas espécies de sálvias ornamentais podem ser tóxicas. Além de aplicar a fórmula natural sobre os cabelos, bebê-la também pode ser uma boa alternativa.

Isso é o que indica a botânica Vera Fróes em seu livro Alquimia vegetal. Vera indica o consumo do chá de sálvia para potencializar o tratamento. Ele deve ser ingerido três vezes ao dia em semanas alternadas. Se tomá-lo por uma semana, deixe de consumi-lo por duas semanas. Nenzinha Machado Salles, autora do guia Sebastiana Quebra Galho, sugere que enxaguar a cabeça com chá forte feito a partir de folhas de nogueira também pode devolver a cor aos fios. Depois de lavar os cabelos, aplicar o chá e massagear os fios por cinco minutos. Assim como o chá de sálvia, essa receita também demora 30 minutos para agir.

Massagem capilar

Além das ervas, podemos também recorrer à massagem capilar enquanto lavamos a cabeça. Os movimentos ativam a corrente sanguínea, facilitando o transporte de oxigênio e de nutrientes para o bulbo capilar e estimulando a produção de melanina. A massagem deve ser realizada com as pontas dos dedos e não com as unhas, e deve percorrer todo o couro cabeludo em movimentos circulares.

Taz / Flickr: Positive/Negative / CC BY 2.0