Namu é

Conheça mais sobre o NAMU

Receitas

Aprenda a fazer moqueca de pupunha com a chef Priscilla Herrera

Saiba mais sobre

Como manter uma horta orgânica

Insumos simples e que não agridem a natureza são o segredo para a cuidar de um pequeno jardim

McKay Savage / Flickr / CC BY 2.0

Consumir ervas, temperos e hortaliças vindas diretamente de nosso quintal é muito saudável. O maior benefício é a certeza de boa procedência do que produzimos e ingerimos. Para conseguirmos esse nível de qualidade, é fundamental que o canteiro seja mantido de forma orgânica. Uma planta orgânica apresenta mais sabor, durabilidade e maior percentual de vitaminas e minerais.

Alimentos orgânicos são aqueles cultivados sem agrotóxicos, hormônios, fertilizantes ou substâncias sintéticas. Há inúmeras razões para evitarmos o uso desses produtos químicos na alimentação. Entre elas está o risco de ingestão pelo consumidor e intoxicação do agricultor durante a aplicação e o manuseio.

Como manter uma horta orgânica?

O primeiro passo para começarmos uma horta é utilizar mudas e sementes orgânicas ou sem defensivos. As sementes sem defensivos são mais facilmente encontradas que as orgânicas e são diferentes das tradicionais por não terem sido tratadas com produtos químicos durante o processo de estocagem e embalagem. Uma horta plantada com elas pode ser considerada orgânica mesmo se tiver como origem uma planta-mãe não orgânica.

Outro ponto que distingue uma horta orgânica de uma convencional é a terra utilizada, pois um substrato orgânico de plantio é essencial para a manutenção. É importante que esse substrato não tenha tido contato com nenhum produto químico e esteja isento de contaminação biológica e adubo mineral.

Os adubos orgânicos são obtidos com base em matéria vegetal ou animal, como esterco e restos de vegetais. São permitidos pela agricultura orgânica e possuem, de maneira balanceada, a maioria dos elementos necessários para a planta, pois melhoram o estado físico do solo e oferecem ação prolongada. Os mais conhecidos e comercializados adubos no mercado são:

Esterco animal: pode ser de boi, cavalo, carneiro ou galinha. A utilização só é aconselhável após a fermentação completa, pois pode haver alteração na atividade microbiana do solo. É usado geralmente em canteiros.

Composto orgânico: oriundo de compostagem orgânica, é feito com restos de galhos, folhas e cascas de frutas não cítricas. Pode ser produzido em casa ou comprado em lojas de jardinagem.

Bokashi*: adubo orgânico muito usado para cultivo de hortaliças e orquídeas. É resultado da fermentação de diversos farelos, entre eles o trigo e arroz e tortas de mamona ou outros vegetais. Possui todos os macronutrientes necessários para as plantas. Pode ser encontrado facilmente em lojas de jardinagem ou feito em casa.

Farinha de osso: rica em fósforo, cálcio e nitrogênio. É boa opção para estimular frutificação e floração. Possui efeito duradouro no solo, mas demora mais que os outros adubos para fazer efeito. É usado geralmente em combinação com alguma torta vegetal.

Torta de algodão: bagaço resultante do processo de extração do óleo contido nas sementes do algodão. É mais difícil de ser encontrado no mercado. Por ser complementar em nutrientes, é utilizada geralmente com farinha de ossos.

Torta de mamona: a torta de mamona é mais facilmente encontrada e seu uso combinado com a farinha de ossos ainda é amplamente utilizada. Deve-se empregar essa mistura com cautela, pois a mamona é tóxica. Já foram relatados muitos acidentes domésticos com cães, que atraídos pelo odor da mistura de osso ingerem acidentalmente a torta da mamona se intoxicam com muita gravidade. Essa é a razão pela qual a combinação de farinha de ossos com torta de algodão é ideal.

Húmus de minhoca: excelente adubo orgânico oriundo do esterco de minhoca. Não apresenta odor ruim e não causa mal à saúde humana ou animal. Pode ser obtido por meio de composteira doméstica ou em lojas de jardinagem.

Pragas e doenças

Muito conhecida popularmente, a aplicação de calda de fumo, pimenta, alho e tagete é uma solução eficaz e orgânica para o controle de pragas e doenças em pequenos jardim ou hortas. Para quem não quer se aventurar a fazer seu próprio inseticida, aplicar óleo de nim é uma ótima opção. O nim é uma árvore indiana cujas sementes podem ser maceradas e transformadas em torta e óleo. A torta atua preventivamente contra pragas e doenças do solo enquanto o óleo é indicado para cultivos já atacados.

Outra boa solução para afastar pragas, doenças e manter a saúde de sua horta é o controle ecológico, que pode ser feito por plantas consideradas repelentes, como a citronela e o tagete ou atrativas, como a capuchinha, que atrai as lagartas para e deixa a horta livre delas. Favorecer a proliferação de animais benéficos à horta, como as joaninhas, que se alimentam dos pulgões e cultivar controladamente matos que surgem espontaneamente são excelentes indicações também.

Se comparada a uma plantação que utiliza produtos químicos, a manutenção de uma horta orgânica é mais difícil e requer maior dedicação. Lidar com pragas e doenças será sempre uma realidade no cultivo orgânico. Entretanto, os benefícios para a natureza e a saúde de que consome são enormes e valem a pena em longo prazo.

*O idealizador do bokashi, Mokishi Okada, desenvolveu também o conceito de Agricultura Natural, que propõe o cultivo por meio da harmonia entre meio ambiente, alimentação, saúde do homem e espiritualidade. Não utiliza agrotóxicos nem adubos químicos ou de origem animal, como o esterco de gado.

Foto: Gabriela Pastro